Projeto baiano realiza evento na Universidade de Pequim

Projeto apoiado pela Fapesb realiza evento na Universidade de Pequim

O projeto “Potências Transnacionais Emergentes e seus Crivos Culturais”, coordenado pelo Prof. Dr. Osmar Moreira dos Santos, professor da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) e apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia, através do Pronem Edital Fapesb/CNPq, realiza duas mesas redondas na Universidade de Pequim, como parte do cronograma de atividades da proposta. A iniciativa, que acontece nos dias 7 e 8 de junho, vai discutir as relações culturais entre os países que compões os BRICS (Rússia, Índia, China e África do Sul).

O projeto reúne seis pesquisadores do Programa de LitCultura da Universidade Federal da Bahia (Ufba) e seis pesquisadores do Pós-Crítica da Universidade Estadual da Bahia (Uneb). A proposta é realizar, ao longo de três anos, encontros, simpósios e mesas redondas em universidades dos países integrantes dos BRICS, para discutir o tema das relações culturais entre o Brasil e esses países.

No evento na Universidade de Pequim, as duas mesas redondas intituladas “Relações Internacionais no Âmbito dos BRICS: Repercussões na América Latina” e “Literatura e Cultura no Âmbito dos BRICS: Mediações” envolvem três dos 12 pesquisadores, cada um com seu subprojeto articulado ao projeto guarda-chuva, e que irão interagir com estudantes, professores e pesquisadores chineses e de outras partes do mundo, em atuação na Universidade de Pequim.

“As expectativas (para o evento) são as seguintes: mostrar que pela via da ciência e da cultura, o Brasil e suas instituições científicas e culturais têm muito a contribuir, não só com o desenvolvimento do país, mas com um desenvolvimento alternativo de países constitutivos dos BRICS, bem como com de outros blocos de nações (…) e conhecer equipamentos culturais e científicos da Universidade de Pequim, a exemplo de sua biblioteca, a maior de toda Ásia”, destaca Osmar Moreira.

Quanto ao apoio da Fapesb na concretização do evento, o coordenador do projeto ressalta que além do financiamento de materiais, passagens e hospedagens, o incentivo também proporcionou “estímulo à contrapartida das instituições científicas envolvidas, não só a UNEB e a UFBA, mas os centros de pesquisa internacionais com os quais temos interagido e iremos interagir até o final do projeto em 2018/2019, (…) ampliação da visibilização de nossas agências de fomento (Fapesb, CNPq, Capes) no âmbito internacional fora do eixo ocidental”, afirma.

Fonte: Fapesb

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *